Refeição: uma grande oportunidade de convivência

Refeição:  uma grande oportunidade de convivência

Deixe a refeição em segundo plano e aproveite este momento único para colocar os sentimentos em dia.

Muito se fala sobre o que representa aquele ato familiar, ou com amigos, em que se reúnem para fazer uma refeição qualquer. Será este momento apenas para saciar nossa fome ou uma grande oportunidade de confraternização que extrapola todos os sentidos?

Talvez você, faminto leitor, tenha presenciado, numa segunda-feira à noite em uma pizzaria qualquer, pessoas chegando para a fartura de um rodízio de pizzas. Estas chegam, comem rapidamente e vão embora. Este é um público que sai apenas para saciar sua fome. Mas nos outros momentos, desta atribulada vida, em que estes se apresentam como uma oportunidade de reunião de nossos afetos? Eis que surge a oportunidade da convivência fraternal. Você tem que deixar a refeição em segundo plano e aproveitar este momento único para colocar os sentimentos em dia.

Sempre me chamou a atenção, quando convidados chegam, perto do horário da refeição, comem rapidamente e vão embora. É a oportunidade perdida.

Como dizer para estas pessoas que foram convidados para um relatório dos sentimentos que se tem em comum e a refeição é apenas um pretexto? Apenas um pretexto para rever aquele amigo, aquele parente, colocar para fora a ânsia de dizer o quanto são importantes para nós. São refeições que servem apenas como desculpas para extrapolar a afetuosidade de todos, dizer palavras nunca ditas, encorajados pelo momento que traz coisas adormecidas pelo tempo.

 Jorge Antonio Mendes

Redes Sociais:
Facebook
Facebook
Instagram