post-title SIM, vai ter imprevisto!

SIM, vai ter imprevisto!

SIM, vai ter imprevisto!

SIM, vai ter imprevisto!

Não adianta revolta, reclamação, nem pena de si mesmo: imprevistos acontecem.

Colocando de lado aquelas situações que podiam ser previstas e evitadas (mas é mais fácil chamar de imprevisto para não nos responsabilizarmos por elas), tudo aquilo que surge inesperadamente sacode nossas certezas e nos leva a uma série de reflexões.

Que coisas são essas que a vida nos reserva sem que a gente tenha sequer noção?
Sempre que se pensa que pode acontecer algo inesperado, bate o pavor, afinal, as surpresas e mudanças de direção costumam ser mais bem-vindas na teoria do que na prática.

Os episódios súbitos da vida nos fazem agir diferente e, justamente por isso, é importante ter aceitação, flexibilidade, criatividade e até um bom plano B sempre de prontidão – não para evitar os imprevistos, mas para resolvê-los.

Gastamos muita energia para minimizar as chances de que um imprevisto aconteça, provavelmente, muito mais do que para lidar com ele! E, de fato, o imprevisto não é uma questão de descuido ou de deixar brecha para o azar, até porque ocorre com todos, desde os mais controladores e prevenidos até os profundamente desencanados.

As pessoas tendem a querer se proteger dos imprevistos com o que se pensa ser o seu oposto, ou seja, a previsão. Porém a previsão, quando é possível, alcança somente a parte em que temos algum livre-arbítrio atuando. E no que se refere aos imprevistos em si, não há escolhas, eles são parte da existência, obrigatórios e inevitáveis.

Não há como fugir. Parecem ser ‘a mão do destino’ atuando em nós. E será que não é mesmo?
Pequenos, imensos, insignificantes, marcantes ou desesperadores, os imprevistos nos oportunizam uma lição básica da vida: não temos controle absoluto de nada!

E já que o imprevisto é natural, outras questões surgem: Como reagir? O que isso significa? Em que é preciso melhorar? Qual o aprendizado oferecido por essa situação?

Quando nos deslocamos da posição de seres intocáveis que nos damos, aceitando nossa interatividade com forças da vida que nunca vamos entender completamente, fica mais possível encontrar um sentido para essas experiências, e esse é um esforço que vale a pena!

Ser alguém prevenido é estar consciente e orientado sobre as capacidades pessoais de lidar com qualquer coisa que tiver que ser vivida. Não dá para furar a fila das informações e querer dar o truque na vida, algumas coisas ela nunca nos contará antes.

Kety Daudt Maus

Redes Sociais:
Facebook
Facebook
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *