post-title 8 hábitos autodestrutivos que você tem e nem percebe

8 hábitos autodestrutivos que você tem e nem percebe

8 hábitos autodestrutivos que você tem e nem percebe

8 hábitos autodestrutivos que você tem e nem percebe

Tudo o que repetimos inúmeras vezes, com o tempo, pode ser entendido pelo cérebro como verdade.Somos responsáveis pelas coisas que repetimos.
A forma como falamos e pensamos e as coisas que fazemos afetam drasticamente a nossa vida.
Abaixo, segue uma lista de hábitos autodestrutivos que você deve se esforçar para deixar de fazer ainda hoje!

1- Culpar outras pessoas pela sua infelicidade

Ninguém está aqui para dizer que pessoas não te fizeram mal, mas a maneira como você segue e se reconstrói após situações ruins é o que definirá o seu futuro. É aquela velha história: não podemos mudar o que aconteceu, mas podemos mudar o nossos olhar com relação ao que aconteceu. Também é importante lembrar que perdoar não é ficar junto, perdoar é voltar a ser feliz e seguir em frente. Procure ajuda, faça terapia, mas não pare no tempo em que foi ferido (o). O caminho é para frente.

2- Repetir frases que te depreciam e generalizá-las:

Sou um completo fracassado;
Nunca vou dar certo na vida mesmo;
Nenhum namorado meu presta;
Tudo acontece comigo;
Todas são mais bonitas do que eu.

Perceba que, no uso dessas frases, além do conteúdo negativo, existem palavras que generalizam o comportamento: sempre, nunca, completo, todas, nenhum. Essas são palavras perigosas porque dizem ao seu cérebro que você não tem outra alternativa a não ser permanecer um fracasso, infeliz, solteiro e azarado (entre outras coisas). Preste muita atenção nessas frases e pare hoje mesmo de usá-las.

3- Buscar a perfeição

Deixe a perfeição idealizada em seu lugar dentro da filosofia de Platão. Na maioria das vezes, perdemos tempo demais em busca do inatingível, mas a única coisa que essa busca indica é o nosso medo de errar e de não sermos aceitos. Lembre-se de que “feito é melhor que perfeito” e diferencie em sua vida quais são realmente os aspectos que exigem maior esmero.  Em geral, são poucas as profissões e hábitos que realmente exigem um resultado perfeito.

4- Não ter palavra

Não seja ingênuo de pensar que você não depende das pessoas. Não seja bobo de acreditar que seu crédito com quem gosta de você é eterno. As relações são baseadas na troca e no cuidado mútuo. Quem não tem palavra não é indicado. Quem não tem palavra não é respeitado. Se você disse que faria algo, faça. Se não puder fazer, ofereça uma excelente (e verdadeira) justificativa. Agora, se você não pode fazer, aprenda a dizer não!

5- Mendigar afeto

Amor e afeto são coisas que não se vende, não se compra e muito menos se mendiga. Se  você os está mendigando existe algo errado com você (ou com a outra pessoa) e é bom cuidar disso o mais rápido possível.

6- Não perceber seus próprios valores

O ser humano é um “bichinho esquisito” que sempre prioriza o que não tem em detrimento do que tem, logo, pode ter uma lista imensa de qualidades e passar a vida sem percebê-las ou valorizá-las.

7- Comprar mais coisas do que precisa

“Todo excesso revela uma falta”. Comprar demais indica uma tentativa de preenchimento de outros aspectos da vida que talvez não estejam tão bem e precisam de cuidado emocional. Outro problema do excesso de compras são as dívidas, pois normalmente quem gasta demais, gasta mais do que tem.

8- Medo da Mudança

Quanto maiores são a segurança e a estabilidade, menor é a liberdade. Liberdade envolve abrir-se para o novo, ousar, arriscar e sair da zona de conforto. Muitas pessoas passam suas vidas presas a coisas, pessoas e lugares porque têm muito medo da mudança. Quem não muda, paralisa. Quem paralisa, atrofia em vida, sonhos e criatividade. O medo da mudança talvez seja o “hábito” mais danoso que alguém pode carregar consigo.

Josie Conti
Psicóloga da Contioutra
contioutra.com

 

Redes Sociais:
Facebook
Facebook
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *